Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Va(CAT)ions...

29.07.09publicado por Gato Pardo

Cada vez estou mais convicto que o português anda passado dos carretos...

Sigam lá a minha linha de raciocínio (um pouco demente, é verdade, mas não deixa de ser raciocínio...)...

O que é que uma pessoa quer quando está de férias?

Eu falo por mim...Quero estar de papo pró ar, apanhar umas banhocas jeitosas e não fazer ponta dum corno...Deixar 11 meses de trabalho duro para trás e regalar-me com a boa vida...Ou seja, deixar em casa tudo aquilo que me possa recordar minimamente de casa...

A minha questão é esta...

PORQUE RAIO É QUE AS PESSOAS LEVAM A CASA ATRÁS QUANDO VÃO DE FÉRIAS?

Bastaram-me 5 minutos num posto de abastecimento para perceber que o povo português não consegue abdicar de determinadas coisas que tem em casa...Deixo aqui alguns exemplos...

O pessoal das autocaravanas são verdadeiramente o expoente máximo...Não só levam em 30 metros quadrados tudo aquilo que cabe numa moradia de 500 metros quadrados, como é uma alegria ver 4 bicicletas apinhadas na traseira, um caiaque no tejadilho, o cão com a língua de fora na janela do condutor e um crocodilo insuflável no lugar do passageiro (não quero com isto dizer que a esposa tem ar de réptil...Simplesmente que seria mais fácil encher a sacana da bóia quando chegassem à praia e não em casa...)...

Depois, temos os tios...Os pseudo engenheiros com os seus Mercedes que puxam durante 400 quilómetros um barco que mais parece o Queen Elizabeth II que não só ocupa as 3 faixas de rodagem como ainda um bocado da berma, o que provoca um cagaço aos tipos que têm um azar de ter um furo...Imaginem estar a mudar um pneu e ver um barco do tamanho do Mosteiro dos Jerónimos a vir em vossa direcção...Se fosse eu, pensava que o Noé tinha-se passado da marmita...

As férias são realmente uma altura lixada...Um gajo que passou um ano inteiro a bulir que nem um camelo, pensa que chegado o dia de mandar a empresa pró raio que a parta durante uns bons 15 dias, que acabou o stress e que arranca com a família para um destino paradisíaco...Puro engano...Apenas começou...

Um gajo que pense que basta 3 t-shirts, dois pares de calções e duas mudas de boxers para ser feliz durante 15 dias, está redondamente enganado...A logística que implica levar a família de férias é pior que fazer uma tese sobre a discografia dos Delfins...

Os putos têm de levar a casa atrás...É a porra da Playstation, os 368 jogos que têm, o portátil para andarem no messenger 24 horas por dia mesmo que isso implique levarem-no para dentro de água (sim, se há câmaras submarinas, porque é que a webcam do meu portátil não há de funcionar também???Duh....), os leitores de MP3 e os 300 pares de óculos escuros que dão uma pinta do caraças quando um gajo vai beber a bica à noite...As pitas, literalmente têm de levar o guarda roupa atrás...literalmente, o que obriga o pai a levar  a bagagem dele debaixo do banco para enfiar o armário na bagageira...

Férias?É um stress...Ainda hoje nas bombas, vi um pai a passar-se da marmita com o filho porque o puto em vez de deixar o hamster em casa da avó, decidiu levá-lo de férias também...É dose...

O jogo e as suas consequências...

29.07.09publicado por Gato Pardo

Hoje quero abordar um tema sério...

Sim, eu sei que este não é propriamente um blog que seja regular na abordagem séria de tópicos, mas hoje assim o será...

Hoje o tópico é o vício do jogo...

Há quem lhe chame a heroína de néon (por causa dos casinos e derivados) , outros o dragão invisível (porque destrói tudo à sua passagem sem que os envolvidos tenham a real noção dos estragos)...

O que há a dizer sobre o vício do jogo que já não tenha sido dito?Sinceramente, nada...Mas levando em conta que sou um ex-viciado (e orgulhoso disso) , custa-me quando sei de pessoas enredadas nessa teia de vício interminável...

Soube hoje de alguém que se encontra no fundo do poço...Alguém que tem rendimentos substancialmente superiores aos meus, que tinha tudo para levar uma vida tranquila e pacata, mas que no entanto vive num estado de ressaca constante até à abertura do casino no dia seguinte ou dos jogos de poker no fim de semana.

Devo admitir que ao ouvir as palavras "sou viciado no jogo" da boca dele, senti algo dentro de mim a querer despertar...Como se de um monstro adormecido durante muitos anos atrás se tratasse...Mas não...Era apenas um aperto no coração por saber que qualquer coisa mais que ele pudesse dizer, eu saberia-o de antemão...Já estive no fundo desse poço...Senti a vergonha de carregar esse vício nas minhas entranhas...

Para aqueles que não fazem ideia do que este vício envolve, apenas tenho a dizer que vos invejo...Esta é uma daquelas lições de vida que dispensava ter aprendido à custa de um preço tão elevado...E vejo alguém agora a percorrer o caminho da escuridão do qual eu soube sair a tempo, mas do qual receio que ele esteja apenas no início do mesmo...

Mas o que é este maldito vício?

É um desejo reprimido de vitória?

A ânsia de levar a melhor sobre o jogo em si e provar a nós mesmos que somos capazes de contrariar as estatísticas?

E a que jogo?

Não importa...O jogo em si, acaba por passar para plano secundário...O que importa, é que o indivíduo perde a completa noção da realidade e deixa-se levar para um mundo sem limites, nem obrigações...Tudo o que importa é a probabilidade de vitória, mesmo que isso custe a mensalidade da casa, as compras do mês para casa...Tudo isso passa para plano secundário, mediante a mera possibilidade de levar a melhor sobre o jogo...

Conheço casos já com alguns anos em que certos indivíduos perderam casas (sim, habitaçoes...) à porta do Casino Estoril porque davam as mesmas como garantia a certos agiotas que lá pairavam à porta porque perderam a noção de quando parar...

E como é que se combate este maldito vício?

Conheço duas formas que se complementam...Uma, é sem dúvida alguma, ajuda profissional...A chamada terapia de choque...Fazer ver a estas pessoas, que não há jogo sufcientemente aliciante que colocado na balança. pese mais que a família e a saúde...A outra?É força de vontade...Porque é que digo isto?Porque foi assim que superei o meu vício...Muitos anos atrás jurei a mim mesmo que só voltaria a colocar os pés num salão de jogos, quando me sentisse capaz de resistir à ânsia juvenil de queimar dinheiro a torto e a direito...

Passados 15 anos, o mais próximo que estive de um salão de jogos é o salão de snooker onde ocasionalmente se juntam uns quantos amigos para bater umas bolas...Os casinos?Tenho uma regra que mantenho desde muitos anos atrás...O dinheiro com que entro, é o dinheiro que gasto, mesmo que saia de lá com um Jackpot no bolso...São 40€ com que entro?É o dinheiro que gasto...E convêm salientar que entro num casino tipo, quando os hotéis onde fico têm esses malditos estabelecimentos lá dentro...

Vício do jogo?É uma droga como qualquer outra...Destrói a pessoa do interior para fora...E depois de "acabar" com o indivíduo, destrói tudo em redor até restar apenas uma carcaça só e abandonada que outrora foi uma pessoa...

Se possuo vícios actualmente?Claro...Tenho o meu cigarro (que não deixa de ser uma droga...), os bolos de brigadeiro, pastéis de nata de Belém e as pessoas que amo (não necessariamente por esta ordem...)...

Espero vivamente que a conversa que tive com a pessoa envolvida sirva para ele abrir os olhos...O caminho para a redenção é tudo menos fácil...O vício do jogo é um dragão indomável, cuja única solução é puxar da espada e matá-lo...

E vocês, conhecem casos de pessoas viciados no jogo?

Partilhem...Gostava de saber a vossa opinião...